O arquiteto Maurício Nóbrega fez a transição entre os terrenos para criar uma área de lazer sofisticada para uma casa no Rio de Janeiro

Por Bianca Alves | Revista Casa e Jardim

Trinta anos depois de ter feito o projeto da reforma e design de interiores desta casa, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, o arquiteto Maurício Nóbrega foi novamente convocado pelo casal de moradores: a casa vizinha foi comprada para dar lugar à área de lazer. Ao todo, o novo espaço mede 450 m² e está dividido em piscina, cozinha gourmet, sala de estar, quarto de hóspedes e uma garagem ampla. Sendo assim, o maior desafio foi unir as duas casas, de modo a neutralizar a transição entre os terrenos. “Muitos imprevistos ocorreram. Unir duas casas vizinhas acarreta uma fiscalização frequente para adaptar, sem derrubar as árvores existentes ao longo dos muros, e equilibrar o desnível entre os terrenos”, conta o arquiteto.

Os moradores são um casal de profissionais liberais com filhos já adultos que moram fora do Brasil. “Cada espaço interno e externo foi pensado com foco na experiência dos moradores, para que eles se sentissem inseridos na natureza exuberante do bairro”, conta Maurício. Por isso, a ideia foi equilibrar sofisticação com o gingado carioca, resultando em um layout com clima de spa.

Para trazer naturalidade, um pergolado coberto por palhinha filtra a luz solar, enquanto as pedras hijau de origem vulcânica emolduram a piscina. “O décor gira em torno de uma mesa de azulejos da artista Adriana Varejão e inclui sofás e poltronas de balanço suspensas. Entre os materiais, madeira, corda náutica e linho das almofadas, além de uma mesinha de refeições com tampo de mármore e cadeiras de fibra sintética”, descreve o arquiteto. Na outra extremidade, fica a cozinha com churrasqueira e forno de pizza, feitos a partir de marcenaria sob medida.

Um toque de sofisticação banha piscina e sauna, que são conjugados, com parte da área molhada dentro da sala de vapor, separada apenas por um vidro para cumprir o isolamento térmico. “Quem está dentro da sauna pode admirar a vista pela parede de vidro. Além, é claro, de poder mergulhar na piscina logo após a sauna, sem contato com o ambiente externo. Por sua vez, quem estiver na piscina não precisa sair dela para entrar na sauna. Basta mergulhar por debaixo da parede de vidro”, explica. Trazendo ainda mais verde, o paisagismo, assinado por um amigo da família, ganhou um chuveirão cercado por cobogós.

Comentários

comentários